top of page
  • Foto do escritorSobretrilhos

Confira o novo trajeto do Trem de Alta Velocidade Rio-SP

ANTT aprovou a celebração de Contrato para a construção e exploração da ferrovia entre São Paulo/SP e Rio de Janeiro/RJ, pelo prazo de 99 anos.


Por Renato Lobo


Nesta semana, a Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a celebração de Contrato de Adesão, por meio de autorização, para a construção e exploração da ferrovia entre São Paulo/SP e Rio de Janeiro/RJ, pelo prazo de 99 anos.


De acordo com a ANTT, trata-se de um requerimento particular da empresa TAV Brasil Empresa Brasileira de Trens de Alta Velocidade SPE LTDA.


Segundo publicações reveladas nas redes sociais, o caminho do TAV seria diferente do apresentando em 2010, e teria quatro paradas, sendo uma na Zona Norte de São Paulo, São José dos Campos, Volta Redonda e Rio de Janeiro:



A maior parte do trajeto será em superfície, e nos trechos urbanos haverá túneis para minimizar o impacto para os moradores. O texto diz que apenas na Região Metropolitana de São Paulo são estudados três grandes trechos subterrâneos com 3,5 km (Áruja), 8,5 km (Guarulhos) e 20 km (São Paulo).


O trem partiria próximo de estação da Linha 7-Rubi da CPTM até a estação Santa Cruz da SuperVia:



Orçado em R$ 50 Bilhões, a operação poderia ocorrer em 2032, com início das desapropriações em 2030:


A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), sendo 39ª autorização ferroviária outorgada desde a criação deste modelo de operação, cujo objetivo é viabilizar investimentos do setor privado na construção de ferrovias, sem a necessidade de leilão e pagamentos de outorga (contrapartida financeira do Governo Federal).


"As autorizações são um instrumento estratégico que fomenta a competitividade, o equilíbrio da matriz de transportes e a multimodalidade, como no caso do transporte de cargas e de passageiros. O objetivo é promover o desenvolvimento da malha ferroviária brasileira de forma mais célere e desburocratizada e conectar de forma mais ampla a malha férrea aos grandes portos brasileiros", afirmou o diretor-geral da ANTT, Rafael Vitale.

Fonte: ViaTrolebus

bottom of page