top of page
  • Foto do escritorSobretrilhos

Renan Filho afirma que irá ampliar modal ferroviário

Atualizado: 24 de mar. de 2023

Renan Filho participou da NT Expo - Negócios nos Trilhos e reforçou a mensagem sobre a necessidade da expansão do modal ferroviário no país.


Por Victor Fagarassi

NT Expo - Negócios nos Trilhos

Renan Filho é ministro dos Transportes e participou da cerimônia de abertura da NT Expo – Negócios nos Trilhos, principal ponto de encontro do setor ferroviário na América Latina, que acontece no São Paulo Expo, capital paulista, até quinta-feira (2).


“Precisamos ampliar a presença do modal ferroviário no país. Uma tarefa que não é simples, uma vez que o Brasil tem dimensões continentais e os investimentos ferroviários são constituídos, na maior fatia, pela iniciativa privada sem a aplicação de recursos públicos. Mas, estamos discutindo novos modelos, inclusive com parcerias público-privadas e vamos aumentar os investimentos públicos no modal. O Ministério da Infraestrutura, por meio da INFRA SA, pretende mais que quadruplicar os recursos aplicados em ferrovias no Brasil esse ano”.


O secretário de Transportes Ferroviários do Ministério dos Transportes, Leonardo Ribeiro, também reforçou a mensagem do ministro sobre a ampliação da malha ferroviária. Ele falou sobre a ideia de expandir a matriz de transportes no Brasil trazendo convergências para o desenvolvimento de uma agenda global.


“O mundo caminha para a busca da ampliação dos investimentos públicos e privados em uma infraestrutura sustentável. E as ferrovias fazem deste contexto como um modal seguro, sustentável do ponto de vista verde e eficiente na redução do Custo Brasil”, destacou.

Ministro Renan Filho participou da cerimônia de abertura

Executivos analisam as perspectivas do setor para os próximos anos


Principal atração da 23ª edição da NT Expo – Negócios nos Trilhos, o Congresso NT Expo, trouxe no primeiro dia de programação um painel com autoridades do governo federal e representantes de associações do setor que opinaram sobre as impressões com relação às perspectivas para o futuro próximo do setor ferroviário.


“Temos que construir uma agenda positiva do setor ferroviário. É preciso concentrar os esforços no ‘como’ desenvolver o modal e sair do campo das suposições apenas. A ferrovia não é apenas um meio de transporte de cargas, e sim um modal com o potencial de ser um agente transformador no aspecto sócio-econômico no Brasil”, disse o diretor-executivo da Associação Nacional das Ferrovias Autorizadas (ANFA), José Luis Vidal.


O presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (ABIFER), Vicente Abate, também citou a importância do setor para o desenvolvimento do país em todas as frentes. “Todo o movimento do modelo de autorização para novos projetos de ferrovias é um indutor para o ressurgimento da indústria ferroviária, com a possibilidade de diminuir a ociosidade de produção atual, que foi agravada nos últimos dois anos com a pandemia. Nós acreditamos que o setor ferroviário é estratégico para o desenvolvimento do país e que estamos na direção de avanços significativos para os próximos anos”, ressaltou Abate.

O diretor de empreendimentos da INFRA SA do Ministério dos Transportes, Alex Trevizan, lembra que a construção de uma ferrovia é uma obra que leva muito tempo e sofre com uma série de dificuldades que vão desde as questões de licenças ambientais até a busca por mão de obra qualificada. Por essa razão, ele opina que o governo precisa olhar para a melhoria do arcabouço jurídico e dos aspectos regulatórios para atrair o investimento da iniciativa privada. “o diálogo entre todos os atores do setor é o melhor caminho para mantê-lo aquecido”, disse Trevizan.


Já o vice-presidente Executivo Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Antonio Carlos Sanches, destacou a expectativa da associação para a construção do Marco Legal do Transporte Público Coletivo, que visa a reestruturação do modelo de prestação de serviços de transporte público coletivo. “Muitos projetos estão prontos para sair do forno e o Marco é fundamental para animar os investidores e destravar esses projetos”, apontou Sanches. O texto da minuta do projeto de lei para o novo Marco está em consulta pública e já recebeu cerca de 408 contribuições da sociedade.



bottom of page