top of page
  • Foto do escritorSobretrilhos

Autoridades traçam perspectivas do setor ferroviário para 2023

Atualizado: 11 de abr. de 2023

Encontro aconteceu durante a NT Expo


Por Victor Fagarassi


A NT Expo aconteceu durante essa semana no São Paulo Expo e levou mais de 4 mil participantes à feira. Por lá, entre outros assuntos, as autoridades do governo federal e representantes do setor conversaram sobre as perspectivas para o futuro próximo do setor ferroviário.


Temos que construir uma agenda positiva do setor ferroviário. É preciso concentrar os esforços no ‘como’ desenvolver o modal e sair do campo das suposições apenas. A ferrovia não é apenas um meio de transporte de cargas, e sim um modal com o potencial de ser um agente transformador no aspecto sócio-econômico no Brasil”, disse o diretor-executivo da Associação Nacional das Ferrovias Autorizadas (ANFA), José Luis Vidal.


O presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (ABIFER), Vicente Abate, também citou a importância do setor para o desenvolvimento do país em todas as frentes.

“Todo o movimento do modelo de autorização para novos projetos de ferrovias é um indutor para o ressurgimento da indústria ferroviária, com a possibilidade de diminuir a ociosidade de produção atual, que foi agravada nos últimos dois anos com a pandemia. Nós acreditamos que o setor ferroviário é estratégico para o desenvolvimento do país e que estamos na direção de avanços significativos para os próximos anos”, ressaltou Abate.


O diretor de empreendimentos da INFRA SA do Ministério dos Transportes, Alex Trevizan, lembra que a construção de uma ferrovia é uma obra que leva muito tempo e sofre com uma série de dificuldades que vão desde as questões de licenças ambientais até a busca por mão de obra qualificada.


Por essa razão, ele opina que o governo precisa olhar para a melhoria do arcabouço jurídico e dos aspectos regulatórios para atrair o investimento da iniciativa privada. “o diálogo entre todos os atores do setor é o melhor caminho para mantê-lo aquecido”, disse Trevizan.


Já o vice-presidente Executivo Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Antonio Carlos Sanches, destacou a expectativa da associação para a construção do Marco Legal do Transporte Público Coletivo, que visa a reestruturação do modelo de prestação de serviços de transporte público coletivo.


“Muitos projetos estão prontos para sair do forno e o Marco é fundamental para animar os investidores e destravar esses projetos”, apontou Sanches. O texto da minuta do projeto de lei para o novo Marco está em consulta pública e já recebeu cerca de 408 contribuições da sociedade.


Fonte: Frota e Cia

bottom of page