Informação e Mobilidade

O Trem Intercidades tem uma grande oportunidade de sair do papel

O Trem Intercidades tem uma grande oportunidade de sair do papel

Acontece no dia 18 de outubro, às 10 horas, a Audiência Pública na Câmara Federal que vai discutir a implantação do novo meio de transporte para a população. O projeto do Governo do Estado prevê ligar Campinas-Vale do Paraíba-São Paulo e Santos. A data foi alterada pela Comissão de Viação e Transportes da Casa, para que todos os envolvidos participem.

Na Audiência Pública participam representantes do Estado de São Paulo, da União, das concessionárias e da sociedade civil como a Ferrofrente- Frente Nacional pela Volta das Ferrovias. O objetivo é desfazer os nós que estão atrasando a viabilização do projeto.

Estão confirmadas as presenças de Maurício Quintella Lessa, ministro dos Transportes; Clodoaldo Pelissioni, secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo; Eduardo de Castro, diretor-presidente da Empresa de Planejamento e Logística S.A – EPL; Jorge Luiz Macedo Bastos, diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT; e José Manoel Ferreira Gonçalves – presidente da Frente Nacional pela Volta das Ferrovias – Ferrofrente.

O evento já recebeu apoio de diversas associações de usuários, empresários, Câmaras de Vereadores e lideranças do setor de transporte.

O presidente da Ferrofrente, José Manoel Ferreira Gonçalves, lembrou que será uma grande oportunidade de pensar o que se quer para o futuro de São Paulo e do Brasil.  “Hoje temos obras inacabadas, paralisadas, trilhos abandonados, ferrovia inaugurada sem operação regular, alto custo logístico em consequência dos inúmeros gargalos vergonhosos. Precisamos de um país organizado, capaz de aproveitar suas potencialidades e considerar sua extensão geográfica continental, desconcentrando nosso modal de transportes hoje super dependente dos caminhões”, afirmou.

O projeto do Trem Intercidades prevê 431 quilômetros de ferrovia que ligarão Americana a Santos-Taubaté a Sorocaba e que se cruzarão em São Paulo, Capital. O trem sairá de Americana passará por Santa Bárbara-Sumaré-Hortolândia-Campinas-Valinhos-Vinhedo-Louveira-Jundiaí e chegará à Capital. O custo previsto para a interligação está estimado em R$ 20 bilhões sendo R$ 4 bilhões de recursos públicos.

O deputado federal Vanderlei Macris (PSDB/SP), autor do requerimento aprovado na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, convocando a audiência, garantiu que a questão é uma das prioridades do Estado de São Paulo. “O Trem Intercidades vai ligar as maiores regiões metropolitanas. Temos uma série de propostas e projetos para poder garantir transporte ferroviário de boa qualidade para a população”.

Macris lembrou os constantes congestionamentos na entrada de São Paulo, Capital, por rodovia. “Isso cria dificuldades para a pessoa otimizar seu tempo. Temos a falta de um transporte de qualidade que coloque essas pessoas dentro da Capital de maneira rápida”.

“É preciso assegurar um amplo debate sobre o Trem Intercidades, com a participação de todos os convidados, para que o transporte ferroviário de qualidade saia do papel e seja tão logo implementado. Acreditamos neste projeto e na possibilidade de ele melhorar o transporte nas maiores regiões metropolitanas para a população”, disse Macris.

 Informações da Ferro Frente:

a) O Trem Intercidades vai aproveitar a malha ferroviária existente, descendo a partir da Estação da Luz em SP, passando por Rio Grande da Serra, por um novo sistema de cremalheira que vai utilizar, a partir de Paranapiacaba, a faixa de domínio da MRS, pelo espaço existente do antigo funicular (plano inclinado).

b) A descida, desde a estação da Luz até Santos, será feita em uma hora, sendo 10km de descida com uma rampa de 8%.

c) Vai gerar um benefício sócio ambiental 4 vezes maior que o investimento.

d) Os trens intercidades vão atender a chamada macrometrópole de SP, ligando Sorocaba, Campinas, Santos e São José dos Campos. serão 477 km, atendendo 30,5 milhões de habitantes e uma demanda de 170 mil/dia, nos dois sentidos, utilizando o chamado trem pendular, passando por 24 estações.

e) O percurso para Santos, parte de Campinas, passa por Jundiaí, Lapa( na cidade de SP), Estação da Luz, Rio Grande da Serra, Paranapiacaba e Santos/Guarujá.


 

sobretrilhos

Revista híbrida com abordagens jornalísticas e técnicas. A circulação é controlada e dirigida a todos os segmentos de transporte de passageiros e logística. Aposta-se em uma linha editorial que vá além dos trilhos, trazendo informações e conceitos sobre infraestrutura, intermodalidade, urbanização e cidades inteligentes.

Top