Informação e Mobilidade

Projeto Universidade das Ferrovias – Nilson Tadeu Ramos Nunes

Projeto Universidade das Ferrovias – Nilson Tadeu Ramos Nunes

 

professor_nilson_gpaaA Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG – lançou recentemente o Projeto UNIVERSIDADE DAS FERROVIAS – UNIFER. O Projeto visa introduzir no Brasil, a partir de uma estrutura fundeada na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais – EEUFMG, um organismo de suporte ao resgate do ensino e da pesquisa no âmbito da engenharia ferroviária e áreas afins. Os pilares fundamentais desse Projeto podem ser descritos como:

PROGRAMAS DE CAPACITAÇÃO INTERNA

Graduação: Houve discussões prévias com universidades europeias, como as de New Castle (UK), KTH (Suécia), Dresden e Stuttgart (Alemanha) e Lisboa (Portugal).

Pós-graduação: Para os cursos de pós-graduação, com foco na engenharia ferroviária, serão propostos programas de intercâmbio com as universidades previamente contatadas, bem como para outras com experiência nessa área, inclusive alguns institutos e centros de pesquisa.

Capacitação Docente: Na mesma linha da capacitação ferroviária, pretende-se estabelecer um Programa de Capacitação Docente para professores da UFMG, bem comopara outros parceiros de entidades públicas e privadas.

PROGRAMAS DE CAPACITAÇÃO ABERTA

O Departamento de Engenharia de Transportes e Geotecnia – ETG – do Curso de Engenharia Civil da Escola de Engenharia da UFMG, por meio de seu Núcleo de Ensino e Pesquisa em Transportes – NUCLETRANS, com o intuito de resgatar o ensino e a pesquisa em engenharia ferroviária, está propondo para o corrente ano uma série de cursos de extensão de curta duração, com foco na formação do engenheiro ferroviário.

Também podemos contar, na UFMG, com as fundações de apoio, em particular a Fundação Christiano Ottoni – FCO, que atende de forma exclusiva a Escola de Engenharia da UFMG, e que possui mecanismos legais para a contratação de pessoas físicas ou jurídicas no Brasil ou no exterior, de forma a complementar as especialidades que eventualmente não estejam disponíveis nos quadros da EEUFMG.

ESCOLA FERROVIÁRIA

Existe no mercado uma demanda relativa à formação de pessoal de nível médio na área ferroviária, já que as oportunidades de formação desse tipo de mão de obra praticamente inexistem no mercado nacional. Dessa forma, e se fundamentando na bem sucedida formação de mestre de obras conduzida há várias décadas pela EEUFMG (CIPMOI), o ETG/NUCLETRANS vem encaminhando diligências para a implantação de uma Escola Ferroviária em Belo Horizonte.

Alguns entendimentos já foram conduzidos junto ao Serviço Nacional da Indústria – SENAI, que tem experiência nesse tipo de empreendimento, haja vista o projeto da Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos – CPTM, apoiado integralmente por essa entidade.

TRECHO EXPERIMENTAL

A EEUFMG, a partir de uma demanda do NUCLETRANS, consultou o DNIT sobre a possibilidade de transferir para a FCO um trecho de ferrovia nas imediações de Belo Horizonte, entre aqueles já devolvidos pelas concessionárias. Prevê-se que esse trecho seja utilizado para treinamentos específicos entre alunos da Escola Ferroviária, bem como para a realização de experimentos de professores e de alunos de pós-graduação sobre materiais e equipamentos ferroviários, conduzidos pelas diversas áreas da engenharia da EEUFMG.

PARCERIAS NACIONAIS

Entre as parcerias nacionais, podemos apontar a ABIFER, a ANTT, o DNIT, aANPTrilhos, o CEPEFER, o Grupo Permanente de Auto-Ajuda na Manutenção – GPAA e a MRS, bem como outras empresas do setor ferroviário.

PARCERIAS INTERNACIONAIS

Vislumbramos como possíveis parceiros internacionais algumas universidades, como a de Dresden na Alemanha; a KTH na Suécia;a de New Castlena Inglaterra; a de Lisboa em Portugal; a Universidade Monash na Austrália e diversas universidades nos Estados Unidos. Além disso, estamos em contato com a ERA – European Railway Agency, que aguarda sinalização da UFMG para organizar missões de cooperação técnica.

Prof. Nilson Tadeu Ramos Nunes – Ph.D. em Engenharia de Transportes pela Leeds University em 1996, Mestrado em Engenharia de Transportes pela COPPE/UFRJ em 1985. Atualmente ocupa uma cadeira de Professor no Departamento de Engenharia de Transportes e Geotécnica da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Publicado na Revista SOBRETRILHOS – Ano 2 – Edição 5

sobretrilhos

Revista híbrida com abordagens jornalísticas e técnicas. A circulação é controlada e dirigida a todos os segmentos de transporte de passageiros e logística. Aposta-se em uma linha editorial que vá além dos trilhos, trazendo informações e conceitos sobre infraestrutura, intermodalidade, urbanização e cidades inteligentes.

Top