Informação e Mobilidade

Hidrelétricas e fontes de energia renovável – César Xavier

Hidrelétricas e fontes de energia renovável – César Xavier

 

abee_cesarxavier_fotoSabe-se que grande parte da energia gerada no país, em torno de 70%, é gerada por meio de usinas hidrelétricas e,com base em fonte da Eletrobrás de 2012, o Brasil tem um potencial estimado de geração de energia por usinas hidrelétricas na ordem de 245.000 MW.Temos, além disso, um grande potencial inexplorado,estimado em 139.000 MW, ou seja, 57%, estando a maior parte desse potencial inexplorado concentrada na bacia do Amazonas, que tem aproximadamente 73.000MW (52% do potencial inexplorado). O potencial em expansão (em construção) no Brasil é de 18.800 MW, e grande parte dessa expansão também está na bacia do Amazonas, cerca de 17.600 MW (94% da expansão).

O potencial de energia explorado, ou seja, que está em operação, é de 86.000 MW (35%), sendo que a maior parte desse potencialestá em operação na bacia do Paraná: 43.100 MW (50% do potencial explorado).

Como podemos ver, ainda existe um grande potencial inexplorado, e ele se concentra na região Amazônica. Devido às questões ambientais e indígenas que emperram as licenças ambientais e autorizações do uso de terras para novas construções de usinas hidrelétricas, fica cada vez mais difícil a construção, e uma grande contribuição para mitigar essa situação é a instalação de usinas com fontes renováveis de energia.

Podemos classificar como fontes alternativas de energia as renováveis não hidrelétricas. Citamos aqui dois tipos de usinas, as eólicas e as fotovoltaicas; essa energia, mesmo sendo mais cara do que a energia hidrelétrica, tem valores competitivos com as usinas termelétricas convencionais.

As fontes de energia renovável dependem das condições geográficas naturais e normalmente estão longe dos centros de carga, o que requer grande extensão da rede de transmissão. Pode-se dizer que a disponibilidade energética dessas fontes de energia renovável é sazonal, e são usadas como fontes de regularização e/ou complementação para a energia hidrelétrica, para garantir o suprimento de energia.

A disponibilidade energética das fontes citadas, solar e eólica, é caracterizada por ciclos diários, o que as torna muito voláteis, apresentando grandes variações em períodos curtos e também baixa previsibilidade em curto prazo.

Resumindo tudo isso, a energia gerada por essas fontes de energia renovável é extremamente benéfica para o meio ambiente e o sistema elétrico brasileiro, mas não podemos confiar na sua geração contínua, o que leva o órgão que opera o sistema elétrico nacional, o Operador Nacional do Sistema – ONS, a aumentar seu controle nessa operação, para garantir o fornecimento contínuo e ininterrupto de energia aos consumidores.

César Xavier – Eng. Eletricista – Associado.
Publicado na Revista SOBRETRILHOS – Ano 2 – Edição 6

sobretrilhos

Revista híbrida com abordagens jornalísticas e técnicas. A circulação é controlada e dirigida a todos os segmentos de transporte de passageiros e logística. Aposta-se em uma linha editorial que vá além dos trilhos, trazendo informações e conceitos sobre infraestrutura, intermodalidade, urbanização e cidades inteligentes.

Top