Informação e Mobilidade

Expansão ferroviária

Expansão ferroviária

Expansão da malha ferroviária é estratégica para reduzir os custo logístico e acelerar escoamento da produção agrícola. O setor terá investimento histórico de R$ 86,4 bilhões; ferrovia Bioceânica, cujo trecho brasileiro terá 3,5 mil quilômetros, receberá investimentos de R$ 40 bilhões.

infografico3-brasil-gov-sobretrilhos

A malha de transporte ferroviário no Brasil é fundamental para acelerar a retomada do crescimento econômico. Para reduzir os custos logísticos e acelerar o escoamento da produção agrícola no País e para o exterior, uma nova rodada de concessões ferroviárias vai atrair investimentos no valor histórico de R$ 86,4 bilhões.  Somente o trecho brasileiro da ferrovia Bioceânica terá R$ cerca de R$ 40 bilhões em investimentos.

A ferrovia Norte-Sul foi dividida em dois lotes. Os trechos de Palmas (TO) a Anápolis (GO) e de Barcarena (MA) a Açailândia (PA) têm extensão total de 1,4 mil quilômetros e investimento estimado de R$ 7,8 bilhões.

Com a concessão, o governo espera concluir o trecho norte do corredor, com saídas pelos portos do Arco Norte. Já o trecho que liga Anápolis (GO), Estrela D’Oeste (SP) e Três Lagoas (MS) tem 895 quilômetros e investimento estimado de R$ 4,9 bilhões. O trecho sul do corredor faz interligação com o polo agroindustrial em Três Lagoas.

Para integrar o porto e os terminais privados do Rio de Janeiro e de Vitória (ES), o governo também irá conceder 572 quilômetros de ferrovias. Os investimentos, de acordo com estimativas dos governos estaduais, é de R$ 7,8 bilhões. Do mesmo modo, a  concessão do trecho que liga Lucas do Rio Verde (MT) a Miritituba (PA) irá melhorar o escoamento da produção agrícola do Mato Grosso pela hidrovia do Tapajós. São 1,1 mil quilômetros e investimentos de R$ 9,9 bilhões.

Já os novos investimentos em concessões existentes somam R$ 16 bilhões. Entre 2011 e 2014, foram construídos 1.088 quilômetros de ferrovias. Entre os projetos em negociação em concessões existentes estão a ampliação da capacidade de tráfego, a construção de novos pátios, a redução de interferências urbanas, duplicações, a construção de novos ramais, aquisição de novos equipamentos de via e sinalização e a ampliação da frota. Atualmente, estão em fase de estudo projetos que correspondem a seis mil quilômetros ferroviários.


Aperfeiçoamento do modelo

O governo federal trabalhou no aperfeiçoamento do modelo de concessões ferroviárias. Na segunda fase, a escolha do modelo será feita de acordo com as características de cada ferrovia. Poderá ser adotada a concessão por outorga ou compartilhamento de investimento. Em todos os casos, deverá ser garantido o acesso a terceiros, com direito de passagem  e tráfego mútuo.

Ferrovia Bioceânica

Em maio, o governo federal assinou o Memorando de Entendimento Brasil-China-Peru para iniciar os estudos de viabilidade para a Ferrovia Transcontinental, que  vai cruzar o continente sul americano, ligando o oceano Atlântico ao Pacífico. O trecho brasileiro da chamada Ferrovia Bioceânica tem extensão de 3,5 mil quilômetros e prevê investimentos de R$ 40 bilhões. A rota é considerada estratégica para o escoamento da produção, via Pacífico, para os mercados asiáticos.

FONTE:  Programa de Investimentos em Logística Ministério do Planejamento.

sobretrilhos

Revista híbrida com abordagens jornalísticas e técnicas. A circulação é controlada e dirigida a todos os segmentos de transporte de passageiros e logística. Aposta-se em uma linha editorial que vá além dos trilhos, trazendo informações e conceitos sobre infraestrutura, intermodalidade, urbanização e cidades inteligentes.

Top