Informação e Mobilidade

ABIFER defende ampliação da malha ferroviária brasileira

ABIFER defende ampliação da malha ferroviária brasileira

Por Vicente AbatePresidente Abifer

 

Um dos maiores gargalos do chamado custo Brasil é nossa insuficiente infraestrutura de transporte.

Ao se prover o país de mais ferrovias, hidrovias, rodovias, portos e aeroportos, devidamente integrados, além de se melhorar a mobilidade urbana, estará sendo dado, também, um passo adicional igualmente importante: o crescimento de nosso PIB, que ocorrerá se conseguirmos, num primeiro momento, atingir 2% do PIB em investimentos na infraestrutura de transporte para, em seguida, nos aproximarmos dos 5%, patamar mínimo praticado pelos demais países do BRICS.

Assim, o desafio mais premente do nosso governo é destravar o processo das concessões ferroviárias previstas no PIL – Programa de Investimentos em Logística de 2012.

Com efeito, assim que o primeiro trecho tiver seu edital publicado, outros trechos serão deslanchados após a aprovação dos seis projetos ora em execução nos diversos PMIs (Procedimentos de Manifestação de Interesse) liberados pelo governo em julho passado.

Estamos falando de metade dos 11 mil km de ferrovias do PIL que, adicionados às obras em andamento, que estão sendo executadas pelo governo e pela iniciativa privada, totalizarão uma malha de 10 mil km que será agregada à malha atual de 23 mil km operacionais de ferrovias de carga.

Em paralelo, ao tornar operacional o novo trecho da Ferrovia Norte-Sul de 855 km entre Palmas/TO e Anápolis/GO, o governo terá a oportunidade de testar o novo modelo de transporte ferroviário, o “open access”, a ser realizado por pelo menos três Operadores Ferroviários Independentes, que acabam de solicitar homologação à ANTT.

Finalmente, com o avanço já proporcionado pelas concessionárias ferroviárias de carga, privadas, sob o modelo existente, estarão sendo criadas as melhores condições para o país trilhar o caminho do desejado desenvolvimento.

 

Publicado na Revista SOBRE TRILHOS – Ano 1 – Edição 1

 


 

 

sobretrilhos

Revista híbrida com abordagens jornalísticas e técnicas. A circulação é controlada e dirigida a todos os segmentos de transporte de passageiros e logística. Aposta-se em uma linha editorial que vá além dos trilhos, trazendo informações e conceitos sobre infraestrutura, intermodalidade, urbanização e cidades inteligentes.

Top